Cantinho da Flor

Para Quem Quer Qualidade de Vida

Coisa boa

SEXO sem vergonha

Na cama, um bom papo pode ser muito mais (re)produtivo

Por Tullio Andrade

Ilustração: Fabrício Aguiar

Esse mês quero tomar a liberdade de levar meus leitores pra cama! Então é melhor se despir de pudores; pois nós vamos direto ao ponto. Não, não é o “G” ainda. Afinal de contas estamos ainda nas preliminares…

De acordo com a teoria de Darwin, se nós estamos aqui discutindo e (principalmente fazendo) sexo é porque somos o resultado de uma sucessão de relacionamentos bem sucedidos; pois os homens e mulheres saudáveis que escolheram não se reproduzir, não passaram seus genes adiante. Portanto, carregamos conosco o instinto natural da procriação.

Essa introdução (no bom sentido da palavra) é só para dizer uma única coisa: o objetivo maior da evolução é o sexo. Sem ele, a raça humana não existiria. Pode parece um tanto insensível e nada romântica essa constatação, mas é fato. O que nós queremos mesmo no final das contas é uma boa noite de sexo. Então será que não está na hora de deixar a vergonha de lado e encarar essa questão de frente (ou de trás.. ou de lado… ou…)?! O sexo pode até não ser a coisa mais importante no cotidiano de cada um, mas certamente ele é algo indispensável para a vida.

Você já se perguntou como é que está a sua vida sexual? Ah! E só uma dica: nessa área, é melhor ser honesto consigo mesmo e com os seus (suas) parceiros(as); pois sexo não é só a saciedade de uma busca libertina por prazer. Ele está diretamente associado à qualidade de vida e à saúde.

Você duvida? Pois saiba que de acordo com a Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana, o desejo reprimido pode acabar resultando em doenças como úlcera, infarto, asma brônquica e estresse. Por outro lado, o ato sexual produz alterações em toda a química do corpo, liberando a proteína “endorfina”, que afeta os mecanismos cerebrais ligados ao humor, a resistência à dor e ao estresse; sem falar que ela é responsável pelas sensações de prazer. Além disso, numa relação sexual você pode perder até 100 calorias; e ainda estimular a contração de vários grupos musculares, como abdômen, nádegas, pernas ou outros músculos, dependendo da criatividade e da disposição de cada casal (ou grupo). Sem falar que a aceleração sangüínea que ocorre durante o ato ajuda a combater um dos maiores terrores das mulheres: a celulite.

Notícia boa para a mulherada não é?! E ainda tem mais. As brasileiras têm mesmo o que comemorar. Com uma média de três relações sexuais por semana, 60% das mulheres se consideram satisfeitas com suas vidas sexuais. E para melhorar, o jogo está quase empatado; pois 68% dos homens afirmam a mesma coisa, segundo um levantamento realizado pelo laboratório farmacêutico Pfizer no início dos anos 2000. No entanto, qualidade de vida (e principalmente vida sexual) não se mede com estatísticas. Se transformarmos esses percentuais em números reais, vamos ver que existe ainda muita gente que está infeliz na cama.

E você, está em qual parte dessa porcentagem?

O que mais aflige..

As Mulheres:

  • 1/3 delas não atingem o orgasmo durante o sexo.

  • 35% não sentem desejo sexual, na maioria dos casos por fatores psicológicos.

Os Homens:

  • Quase metade dos homens tem ejaculação precoce.

  • 40% deles, entre 30 e 50, apresentam algum grau de impotência, também ligados a fatores psicológicos; pois as causas físicas costumam aparecer só depois dos 50.

A mídia também atrapalha.

A erotização dos meios de comunicação trouxe o mito da liberdade sexual, no qual todo mundo fala abertamente de sexo em Tvs e revistas. Mas na intimidade das quatro paredes a coisa é bem diferente. O culto aos corpos perfeitos e a criação dos estereótipos e padrões de beleza e comportamento são, hoje, uma das causas da frigidez e da impotência.

Mulher dos sonhos: Você já viu alguma propaganda de lingerie, por exemplo, com uma modelo gordinha? Pois é, esse bombardeio de corpos perfeitos, barrigas sequinhas, pernas torneadas e bumbuns avantajados não só mexe com a libido masculina. As mulheres cada vez mais sentem dificuldades de lidar com isso; pois passam a fazer comparações inevitáveis com essas modelos e começa a achar “defeitos” nelas mesmas. A conseqüência natural disso é o pensamento de que ela é feia, de que seu parceiro não vai achá-la atraente etc. E gradativamente o desejo sexual diminui.

Homem dos sonhos: Comportamento semelhante começa a ser verificado também nos homens. Mas com eles nem tanto pela questão da aparência física, mas por questões como virilidade, poder, elegância etc. Hoje o estereótipo vendido nos filmes e novelas é daquele homem bem sucedido, inteligente e que satisfaz dezenas de mulheres na cama. Assim como ocorre com as mulheres, as comparações começam. E levam o homem a achar que é “incompetente”, tanto na vida como no sexo; pois ele não consegue dar três seguidas como o cara do filme. O resultado: crescem a cada dia os casos precoces de disfunção erétil.

O sexo começa na cabeça… E esta não é uma frase de duplo sentido. De acordo com os números levantados pela pesquisa, a maior parte dos problemas sexuais (tanto para homens quanto para mulheres) tem cunho psicológico. E na maioria das vezes não os resolvemos porque temos vergonha, preconceito, pudores ou bloqueios culturais incutidos na nossa educação. Preferimos recorrer a pílulas, receitas afrodisíacas, simpatias ou… adultério. Quando uma simples conversa franca e, se possível sob a orientação de um profissional, poderia resolver muito mais facilmente essa questão.

Aquela desculpa da “dor de cabeça” não cola mais. Como também mulher nenhuma acredita na velha frase “isso nunca me aconteceu antes”. Diante dessas situações o melhor é ser franco, para não perpetuar um estado de insatisfação na cama; pois isso acaba afetando todos os outros aspectos da sua vida. Normalmente tanto homens quanto mulheres cobram demais de si mesmos no sexo e isso gera traumas psicológicos que são difíceis de lidar. O melhor mesmo é dialogar. Procure encontrar as causas da sua frigidez ou da sua disfunção erétil; pois pode ser que elas estejam “fora” da relação de vocês. O cigarro, o álcool, o estresse, falta de sono, cansaço e até falta de dinheiro podem afetar diretamente o desempenho sexual de ambos os sexos. Combater as causas do problema é bem mais proveitoso do que ficar arrumando desculpas fugazes para enganar a si mesmo.

Ah! E não é vergonha alguma ligar para um sexólogo. Quando você está com dificuldades de enxergar você tem vergonha de ir ao oftalmologista?! Pense nisso.

Mas agora chega de papo, desligue o computador e corra para a cama, porque não existe nada melhor do que um bom sexo sem vergonha!

Anúncios

3 Comentários»

  Paulo Emanuel wrote @

Achei muito oportuno e, sobretudo, bem inteligente esse texto, pois a “sociedade pós-moderna-libertina-imoral´´de fato tornou o sexo em algo imoral.
Parabéns!!!!!

  Midiã wrote @

Maravilhoso!!! Aprendi depois de 3 filha que sexo é muito mais do que sonhamos ou fantasiamos, é preciso apreder a ter prazer só; Ai sim! valorisamos o próprio corpo, e asministramos o nosso desejo!? ou no!!! rsrsrs!

  Leandro wrote @

Parabéns Flor, muito boa essa sua matéria.
Acredito que vai ajudar bastante as pessoas que passam por problemas sexuais.
Continue assim, sempre tentando ajudar as pessoas com o seu vasto conhecimento.
Bjs..

De seu ídolo e irmão!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: